Reação de evangélicos ao preconceito da revista Veja continua;

A revista Veja despertou a ira dos evangélicos ao publicar o artigo do jornalista J. R. Guzzo tratando aos fiéis dessa tradição cristã como “gente incômoda”. Apesar de muitas pessoas nas redes sociais terem considerado o texto uma ironia, a maioria entendeu que foi um ataque aberto à liberdade religiosa e uma expressão de preconceito assumido.

Como reação à publicação, diversos líderes cristãos e artistas de diferentes denominações evangélicas se manifestaram através das redes sociais, criticando a falta de isenção da revista e a alta desonestidade intelectual do artigo em questão.

O deputado Arolde de Oliveira (PSC-RJ) fez um discurso na Câmara dos Deputados e afirmou que todo o cenário que tem sido vivido no Brasil faz parte de um “movimento que visa, na realidade, a legalização da pedofilia em países, e o Brasil está incluído”.

“É para a desconstrução da família”, alertou o deputado. “O próximo ataque será à Igreja. Neste final de semana, a revista Veja […] sinaliza que agora começa o ataque à igreja evangélica.

Ele [J. R. Guzzo] chama ‘um terço da população evangélica’ de ‘gente incômoda’.

 

 

noticias